2º BEER TOUR – SAIBA COMO FOI!

O segundo roteiro do Beer Tour, que começou com um belo café da manhã cervejeiro (à base de Colorado Demoiselle e pão de queijo quentinho) na distribuidora Gusto, levou os beerturistas à fábrica que foi pioneira na produção de cerveja artesanal em Belo Horizonte: a Krug Bier. Fundada em 1997 como um brewpub (conceito que eu gostaria de ver mais disseminado por aqui), numa época em que não se falava em cerveja feita por microcervejarias, a Krug se destacou por fazer chope pilsen puro malte, muito diferente do que o belorizontino estava acostumado. A bela casa, o chope servido em belas e finíssimas tulipas e o excelente serviço faziam da Krug a melhor experiência na cidade para quem gostava de cerveja. A Krug, nesse meio tempo, ensinou muita gente também a beber chope não filtrado e chope de trigo. Lançou também aquela que considero sua melhor receita até hoje: uma munich dunkel lager, o chope Amber, que em garrafas é a cerveja Áustria Amber.

Fomos recebidos pelo Herwig Gangl, um dos sócios-proprietários, que trouxe a tradição de produzir cerveja de sua família austríaca para BH. Herwig nos mostrou toda a linha de produção, da brassagem ao engarrafamento (um funcionário estava virando o malte dentro do tanque no momento em que chegamos, espalhando o cheiro típico pela sala de brassagem), passando informações importantes sobre o mercado de cervejas artesanais e as particularidades de quem produz chope e cerveja em garrafas. Em seguida, fomos para o espaço de degustação, onde pudemos passear por toda linha, que inclui a recém-lançada Golden Ale, e inclusive tirar nosso próprio chope.

De lá, rumamos para a Küd, a nanocervejaria mais rock and roll do país. Fãs de rock e de cerveja boa (quer combinação melhor?), a Küd, através do mestre cervejeiro Alencar Barbosa, faz cerveja inspirada nos grandes clássicos do rock. Chegando lá, fomos recebidos com uma chopeira vertendo litros de Smoke On The Water, a rauchbier da cervejaria, ao som de AC/DC. Depois tivemos uma aula de processo ao degustar diversos rótulos em diferentes estágios de produção. Tomamos a Tangerine (Witbier) em fase de maturação, onde o sabor estava definido mas os aromas ainda não estavam finalizados, a Kashmir (India Pale Ale) em fase de fermentação, onde os aromas dos lúpulos estavam bem vivos mas ainda havia, naturalmente, residual de açúcar, e depois tomamos outra cerveja pronta (e extraordinária): a Blackbird, India Black Ale, onde o Alencar mostrou os maltes que utiliza na receita (todos provaram dos maltes) e contou como ele faz para dar a cor desejada na cerveja sem que ela fique excessivamente adstringente. Depois de muita cerveja, o Alencar contou que está desenvolvendo uma sour ale/fruit beer, sorteou camisas da Küd e deu o já icônico chaveiro-abridor-guitarra da cervejaria para todos que estavam lá presentes. Depois disso tudo, só nos restava ir almoçar.

Mas o almoço não foi num lugar qualquer, e sim em outra cervejaria! E mais, numa cervejaria-escola! A Taberna do Vale é comandada pelo mestre cervejeiro Felipe Viegas desde 2009, fruto da parceria com o também cervejeiro Danilo Mendes, da Geraes Cervejaria. Felipão começou como representante comercial da Bier & Wein. O vasto trabalho de divulgação e venda de rótulos como a Erdinger e a La Trappe despertou o interesse por aprender mais sobre o ofício de se fazer cerveja. Hoje, inclusive após um estágio técnico em uma cervejaria alemã, Felipão associa a atividade de produzir e vender suas cervejas com as aulas de degustação, harmonização e produção de cerveja em casa. Afinal de contas, só quem produz ou já produziu que sabe a sensação indescritível que é beber a sua própria cerveja.

Para o almoço, Felipe preparou (sim, ele também ataca de chef) uma paella feita apenas com ingredientes mineiros (costelinha, linguiça e bacon), puxada no molho à base de mosto de malte caramelizado, não por acidente batizada de “Paella Cara Vermelha”, em alusão ao malte CaraRed usado no preparo. Como já é tradição no Beer Tour, o prato foi harmonizado, desta vez com uma cerveja da casa, a ESB que Felipe produz para atender o Celtic, irish pub que fica no Sion, tradicional região boêmia de BH. No final, os beerturistas ainda puderam levar algumas das produções da cervejaria pra cada, inclusive os licores à base de cerveja que Felipe produz.

Felizes da vida, voltamos para a Gusto para mais algumas compras. E teve gente (os profissionais que não tombaram) que ainda foi beber mais algumas boas cervejas no Reduto da Cerveja. Mas isso é assunto para um próximo tour…

E as inscrições para o 3º Beer Tour, que será no dia 05 de novembro, já estão abertas! Basta mandar um email para rjlemosarq@yahoo.com.br! Esperamos vocês lá! Saúde!!!

Ouvindo: AC/DC – For Those About To Rock (We Salute You)

3 Respostas para “2º BEER TOUR – SAIBA COMO FOI!

  1. Momentos muito agradáveis ! Gente bonita, boas cervejas, cultura cervejeira, comida especial.
    Um dia especial!
    Mestre Rodrigo, reserve minha vaga no 3o. Beertour, dia 05/11/2011.
    Abraços

  2. Rodrigo, que post animal! A Küd está sempre de portas abertas para o Beer Tour, espero encontrar a turma mais vezes para degustar direto do tanque novamente. Copo cheio e muito rock n’ roll sempre!

  3. Rodrigo, parabéns mais uma vez. Foi muito bom, em especial a visita da Küd. Beber cervejas sensacionais ouvindo rock n’ roll é bom demais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s