AS MELHORES CERVEJAS DE 2010

2010 foi, definitivamente, o ano mais movimentado para o mercado cervejeiro até agora. O volume de novidades e lançamentos importantes nunca foi tão grande quanto nesses últimos 12 meses.

Em 2010 vimos as representantes da escola americana finalmente aportar em solo brasileiro. Rótulos da Brooklyn, Flying Dog, Anderson Valley e Rogue Brewery chegaram às prateleiras com sua carga generosa (às vezes até obsessiva) de lúpulos, dando uma boa noção de como funciona a “quarta escola cervejeira”. Alguns rótulos são extremamente interessantes, como a Rogue Hazelnut Brown Nectar, com um intenso e impressionante aroma de avelãs, e a Flying Dog Double Dog Double Pale Ale, uma cacetada de 11,5% de álcool e 85 IBUs, intensamente amarga mas com carga de malte, corpo e álcool suficientes para segurar todo o lúpulo.

Minhas favoritas? As Brooklyns, sobretudo a Lager, a Brown Ale e a Local 1 são imperdíveis, assim como as Flying Dogs Old Scratch, deliciosa amber lager, a Doggie Style Classic Pale Ale, a Horn Dog Barley Wine e a Gonzo Imperial Porter. Também as Anderson Valley Poleeko Gold Pale Ale e Boont Amber Ale fizeram a minha cabeça, assim como a deliciosa Rogue St. Rogue Red Ale. Prefiro as cervejas mais equilibradas, onde malte(s), corpo e complexidade de aromas e sabores apareçam, e não somente o(s) lúpulo(s). Talvez o desafio para 2011 seja trazer mais rótulos representativos dos Estados Unidos, como as Samuel Adams, Sierra Nevada, Stone Brewing Co., e por aí vai.

Mas não foram só as americanas que chegaram de novidade por aqui. Cervejas da Itália, da Jamaica e até da Lituânia aportaram por aqui também. Destas, destaque para as crias da recente cena italiana, com as cervejas da Balladin, Del Ducato, Grado Plato e Duan. Cervejas ótimas, criativas, mas infelizmente caras demais. Eis aí outra coisa para se pensar em 2011: os preços estão tornando o mercado elitista demais.

A coisa foi quente também em terras brazucas. Praticamente todas as micros brasileiras lançaram novidades este ano, experimentais, sazonais, ou de linha. A Falke Bier lançou um chope weiss espetacular, e andou brincando com jabuticabas ao fazer a Vivre Pour Vivre, talvez a fruit beer/sour ale mais saborosa que degustei até agora. A Wäls anda de vento em popa, finalizando sua bière brut (espetacular, acreditem). Além disso, reformulou sua X-Wäls e lançou quase toda sua linha de cervejas especiais em chope. A Colorado lançou uma das melhores cervejas do ano, a Ithaca, e anda brincando com cacau, pimentas e outras brasilidades em novas receitas. A Bamberg é outra cervejaria que não pára de criar: lançou a deliciosa Bamberg Helles e está comemorando 5 anos de cervejaria com a Bamberg St. Michael, uma weizenbock maturada por 6 meses em barris de carvalho, com dry hopping e refermentada na garrafa.

As panelas dos homebrewers também não pararam este ano. Aqui em Minas, Kudbier e Jambreiro andam produzindo bons volumes de vários estilos de cerveja. Minhas preferidas? Kudbier Kashmir, uma IPA deliciosa em homenagem à minha banda preferida, Led Zeppelin, e a Jambreiro Bâdil, american brown ale indefectível. Das panelas da Smedgard saem não só cervejas mas hidroméis e cidras com os mais variados ingredientes, resgatando a antiga tradição nórdica e pagã de produção de fermentados. A cervejarias Vilã, Grimor e Vinil também fizeram muito em 2010, com suas produções amplamente difundidas (e aprovadas por todos). Destaque para a Vilã Odete Roitman (ESB), a Grimor nº3 (Amber Lager) e a Vinil Baba O’ Riley (ESB). Sem esquecer uma das minhas cervejas mineiras favoritas:  a Rugbeer O’Driscoll, ginger ale estupenda que já mereceu até harmonização por aqui.

O número de casas que se dedicam à cerveja também tem aumentado bastante. Aqui em BH, o Rima dos Sabores se tornou um dos principais endereços para se beber cervejas especiais, acompanhadas por carnes exóticas e sempre um bom papo. O Artesanato da Cerveja é a mais nova loja de cervejas de BH, onde também rola uma cerveja gelada e um bom papo. E o Mamãe Bebidas continua sendo a loja mais completa quando o assunto é cerveja.

Para 2011 espero ainda mais efervescência, mais novidades, mais lançamentos, e mais consolidação do mercado de cervejas especiais. E espero, principalmente, maior divulgação da cultura cervejeira. Só assim poderemos equilibrar oferta e demanda, evitar a elitização do mercado e caminhar para a formação da escola cervejeira brasileira.

Um 2011 com muito malte, lúpulo e especiarias para todos!

Saúde! Cheers! Prosit! Santé! Gezondheid!

§11!

Ouvindo: U2 – New Year’s Day

6 Respostas para “AS MELHORES CERVEJAS DE 2010

  1. Tive a sorte de provar a ‘Ithaca’, realmente uma cervejona…e tb sou fã do Led…
    abs

  2. Artesanato da Cerveja

    Obrigado pela referência carinhosa! Feliz 2011!

  3. Não é por ter participado deste movimento mas gostaria de chamar atenção para o aumento da oferta de locais para comprar cerveja de qualidade. Além da Bierboxx, que tive o prazer de participar da fundação, surgiu a AlchemistBeer, a Mr. Beer, Cerveja Gourmet, etc, e vários cervejeiros artesanais lançando suas cervejas comercialmente.

    E no quesito informação sobre cerveja, também.
    Além dos blogs, sites e comunidades clássicos, surgiram blogs diversos, a Wikibier, o mestrecervejeiro e o assunto foi parar em diversos veículos de mídia tradicional, de jornais e revistas locais a publicações nacionais.

    Se 2010 foi assim, imagino que 2011 será muito mais forte ainda!

    E um brinde a todos que se respeitam e respeitam a cerveja!

    ‘braços

    Celso Bessa

  4. Celso, de fato, o aumento do número de lojas foi e é fundamental para promover o acesso do público às cervejas especiais. Neste quesito, as lojas virtuais exercem um papel especialmente importante ao levar boas cervejas para quem está fora dos grandes centros. Já o aumento do número de pessoas que escrevem sobre cerveja é um dos fatores determinantes para que a cultura cervejeira se espalhe no país.
    Grande abraço!
    Pablo e Marco, Feliz 2011 pra vocês também! Não tem o que agradecer! Abs!
    Marcelo, depois te passo umas sugestões de harmonização de cervejas com Led Zeppelin. Abração e keep on rockin’!

  5. Realmente o mercado de cervejas especial está se desenvolvendo rapidamente. O preço de fato ainda assusta muitos, e creio que o caminho para isso seria aumentar a escala das produções nacionais, fora alguns incentivos governamentais (longe de se tornarem realidade).

    Parabéns pelo post e pelo blog. Eu, aqui do Rio, sou fã das cervejas mineiras. Eu tomei a Wals Brut e realmente vem coisa fina por aí. Aqui no Rio temos só a BottoBier, e em breve a Fraga. Muito pouco.

    abraços,
    Bernardo

  6. Tem um e-mail de contato?
    Visite meu site !
    abs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s