ST FEUILLIEN TRIPEL x TRIPEL KARMELIET

tripel-karmeliet-1astftripleboutverre

Conhece a expressão “briga de cachorro grande”? Pois ela cabe muito bem para descrever esse “duelo” que eu impus entre duas tripels belgas de altíssimo quilate. De um lado, uma das cervejas mais lendárias e famosas da Bélgica, a Tripel Karmeliet. Fabricada pela Brouwerij Bosteels, datada de 1791, produtora ainda da Pauwel Kwak e da maravilhosa DeuS, a Karmeliet, como o próprio nome indica, é produzida a partir de uma receita original de um mosteiro carmelita de Dendermonde, de 1679, que leva cevada, trigo e aveia (maltados e não maltados), além das boas e velhas cascas de laranja e sementes de coentro, e ainda quatro tipos de lúpulo.

De outro, a St Feuillien Tripel, versão do estilo das geniais cervejas St Feuillien (existem também a Blonde, Brune (dubbel), Cuvèe de Noel e Easter Beer, mas essas serão objeto de um outro texto, muito em breve). A Brasserie St Feuillien é datada de 1873, quando a família Friart resgatou a tradição cervejeira da Abbaye St-Feuillien du Roeulx, fundada em 1125, em homenagem ao monge irlandês Feuillien, missionário que pregava no pais e que foi assassinado na região. Tanto a abadia quanto a cervejaria ficam na cidade de Le Roeulx, próxima a Bruxelas.

A Tripel Karmeliet revela uma cor dourado-escuro, porém é bem turva, e de espuma muito abundante, frisante. No nariz, explosão de aromas: anis, medicinal, especiarias, cítrico (lima), baunilha. É muito perfumada. Na boca, o equilíbrio entre o doce e o ácido, anis, laranja curaçao, e álcool discreto, considerando-se os 8%. Uma cerveja muito equilibrada, aromática, temperada, realmente uma cerveja e tanto.

Já a St Feuillien Tripel revela uma cor mais alaranjada, embora a turbidez seja tão acentuada quanto a da Karmeliet. Espuma ainda mais densa e abundante, aromas medicinais, fenólicos, cítricos, também de anis. A lupulagem é mais evidente. A St Feuillien é mais seca e amarga, e o álcool fica um pouco mais evidente. Sabores e aromas igualmente complexos, de especiarias, temperados. Achei ela ainda melhor do que a Karmeliet, sendo, talvez, a melhor tripel “mais fenólica, medicinal e temperada” que conheço. Porém, na dúvida, prove as duas, e faça o tira-teima.

Ouvindo: The Beatles – You Never Give Your Money

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s