DUVEL

Poucas e seletas cervejas são definidoras de um estilo e, dessas, um número ainda mais restrito possuem tanta reputação e fama com a Duvel. Criada em 12 de setembro de 1871 pela cervejaria da família Moortgat, de Breendonk, cidade próxima à Antuérpia, a cerveja atravessou gerações, duas guerras mundiais, e somente na década de 60 é que a Duvel assumiu seu perfil atual, tornando-se a cerveja mais famosa da cervejaria e uma das cervejas mais famosas da escola belga. A Moortgat ainda produz hoje cervejas conceituadas como as Maredsous 6, 8 e 10, mas o carro-chefe da fábrica é a Duvel.

A cerveja apresenta uma cor pálida, dourada, e uma espuma absolutamente impressionante. Aliás, a espuma, densa como uma mousse, incrivelmente abundante e persistente (que acompanha o líquido até o final do copo, deixando para trás o que chamamos de “belgian lace”), é uma das características mais peculiares da Duvel, tanto que o copo, muito maior do que a capacidade original da garrafinha de 330ml, foi desenhado para abrigar toda essa intensa e incrível formação de espuma.

A Duvel faz parte das cervejas belgas “temperadas”, de aromas medicinais, fenólicos, de especiarias. É o caso de muitas tripels, como a não menos lendária Karmeliet. Porém, suas características únicas levaram a Duvel a “inaugurar” um novo estilo, o Belgian Strong Golden Ale. Não possui residuais doces e apresenta intensa carbonatação. Aromas frutados (pêra, maçã, laranja) e de álcool completam o perfil complexo. Aliás, os 8,5% de álcool aquecem e a tornam uma cerveja traiçoeira, daí o nome com a qual foi batizada (Duvel, em flamengo, quer dizer “diabo”). Com o tempo, quase todas as cervejas desse estilo adotaram nomes pouco religiosos como referência à Duvel.

Uma cerveja obrigatória para quem quer compreender melhor a escola belga e para quem quer se lançar no mundo das cervejas ricas e complexas.

Ouvindo: AC/DC – Highway To Hell

5 Respostas para “DUVEL

  1. Olá Rodrigo,

    Consegui duas garrafinhas dessa preciosidade no Emporium Dinis do Shopping Morumbi, estão guardadas aqui comigo, e em breve vou “desvendá-las”.

    Pelo que já li a respeito, um operário da cervejaria exclamou “que cerveja dos diabos!” ao prová-la pela primeira vez, daí a origem do nome.

    Como a escola belga é interessante! Existem várias marcas e estilos ligados à religiosidade, ao catolicismo, como as abbey ales, as trapistas… e no outro extremo existe a “diabólica” Duvel…

    Abraços.

  2. Claudinei, é isso mesmo. Isso foi em 1923, e a cerveja, que antes se chamava Victory Ale (talvez em alusão ao nome de um dos donos, Victor Moortgat), passou a se chamar Duvel. Seu irmão, Albert, foi quem trouxe a cepa de fermento da Escócia, que é utilizada até hoje. Cabe dizer ainda que a Duvel só foi ser produzida apenas com malte pilsen lá pelos idos de 1969, assumindo sua cor e perfil atual (antes ela tinha cor âmbar) e é produzida com lúpulo Saaz e água rica em carbonato, que costumamos chamar de água “dura”.
    De fato, essas referências que vão do sagrado ao profano são uma das coisas mais interessantes da escola belga. Existem outras cervejas igualmente diabólicas, com a Lucifer, a Judas, a Satan Gold, e por aí vai… depois conte o resultado da degustação aqui! Abraços!

  3. Rodrigo,

    Finalmente provei a Duvel. Deixei-a por apenas 3 horas na geladeira, para que não gelasse muito (a faixa de temperatura recomendada é de 6° a 10°C). A formação e duração de espuma é realmente campeã (vazou espuma só de abrir a garrafa, como se fosse champagne). O aroma possui algo de frutado e adocicado. O sabor é frutado, adocicado, complexo, com boa presença de lúpulo e um suave amargor final. Ótima cerveja! Lembra um pouco a Piraat, mas com melhor drinkability, pois é mais suave e menos licorosa.

    Abraço!

  4. Aqui no Rio Grande do Sul eu sempre encontrei a garrafa grande (acho que são 770ml) da Duvel por R$ 60,00 nos supermercados e não me animava a comprar. Em maio, estive no Uruguai e lá encontrei a mesma garrafa por R$ 20,00. Comprei e conferi essa espuma SENSACIONAL. Ótima cerveja, mas não vale R$ 60,00, hehehe…

  5. Eu e um grande amigo estamos entrando no ramo das cervejas artesanais e importadas. Até hoje não degustamos outra cerveja melhor que a Duvel. É também a nossa carro-chefe em matéria de cerveja. Legal a história do copo com a espuma. Que ela (DUVEL), não perca a sua qualidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s