KÜDBIER KASHMIR

Em 1968, um jovem e habilidoso músico inglês, que tocava numa banda famosa e conceituada na época, se viu sozinho quando seus ex-companheiros de banda abandonaram o barco, um a um. Com uma agenda cheia de shows a cumprir, ele não teve alternativa a não ser sair à busca de novos companheiros para sua nova banda. Depois de convidar um polivalente e experiente multiinstrumentista, que tocava baixo, teclados, piano, bandolim, entre outros instrumentos, eles foram à busca de um cantor. Ao assistir a performance do vocalista da Band Of Joy, ambos ficaram impressionados. Convidaram-no então a juntar-se a eles, convite esse que foi prontamente aceito. Faltava então apenas o baterista, e o novo cantor indicou seu companheiro de banda, um músico ímpar que iria fazer história no seu instrumento. Nascia aí a maior banda de todos os tempos, o Led Zeppelin.

Em 2007, um grupo de amigos apaixonados por rock e por cerveja participou do curso de cultura cervejeira, teoria e degustação que ministro há um ano e meio no Frei Tuck Slow Beer, pub que é o templo da cultura cervejeira em Belo Horizonte. Após o primeiro contato com o mundo das lagers e ales alemãs, belgas, inglesas, tchecas, etc; eles não pararam por aí, aprendendo também a nobre e complexa arte de fazer cerveja em casa. Iniciaram suas produções, então, em janeiro deste ano. E a partir daí não pararam mais, produzindo cerveja praticamente toda semana. Nascia aí a Küdbier, cervejaria artesanal que em pouco tempo criou várias cervejas e que ganhou o primeiro lugar no 1º Concurso Internacional de Cervejas Artesanais de Santa Fé, na Argentina, na categoria IPA (India Pale Ale). A predileção pelo rock os levou a batizar suas crias com nomes como Black Betty (Porter), Smoke On The Water (Smoked Ale), Tangerine (Witbier) e God Save The Queen (English Pale Ale). As características históricas  inglesas e indianas do estilo IPA levaram os küds a batizá-la de Kashmir, clássico absoluto presente no melhor disco da banda, Physical Graffiti, e que traduz a união perfeita das sonoridades orientais e ocidentais, com os músicos ingleses nos remetendo à região indiana de mesmo nome.

A minha identificação com os nomes das cervejas foi imediata, pois sou músico de rock (baterista) e, antes do Beer Architecture, escrevia um blog sobre música, o Guitarchitecture (daí veio o nome deste blog que aqui está…). E também porque, além de ser amigo pessoal de todos eles, acredito que um ótima cerveja fica melhor ainda com rock and roll de primeira qualidade.

Küdbier Kashmir (edição campeã):

Aparência: Cor âmbar/mogno, turva, com reflexos avermelhados, espuma morena, densa, abundante e persistente.

Aroma: equilibrado, de lúpulos Saaz, Columbus, etc, e maltes caramelizados. Lembrou muito a Colorado Indica.

Sabor e sensação de boca: de malte, biscoito, caramelo, amargor de lúpulo. Corpo médio.

Equilibradíssima e excelente. Parabéns a todos os küds pela conquista merecida!

Ouvindo: Led Zeppelin – Kashmir (naturalmente…)

Anúncios

4 Respostas para “KÜDBIER KASHMIR

  1. Dá-lhe Kudbier!

  2. A cerveja é sensacional, com um sabor ímpar, nunca antes degustado por mim.

  3. Olá,
    como consigo umas garrafas da Kashmir, e das outras tb.
    Obrigado
    Cappelli

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s