COMIDA DI BUTECO

O Beer Architecture abre parênteses nas grandes cervejas para falar do concurso que rola aqui em BH. O Comida Di Buteco é o concurso anual que procura premiar o melhor boteco da capital brasileira dos botecos. Este ano são 41 bares participantes e o evento dura 31 dias. Os bares competem entre si em quesitos como o melhor tira-gosto, a cerveja mais gelada (ou de temperatura mais “adequada”), higiene e atendimento. O concurso existe desde 2000 e esta é sua nona edição. Hoje se pode dizer que já é um evento tradicional, que faz parte da identidade belorizontina, e que a cada ano ganha maiores proporções.

Os tira-gostos são o maior foco do concurso. Os bares disputam entre si qual é o melhor e mais criativo tira-gosto. A criatividade e a apresentação têm um peso grande, tanto quanto o sabor dos pratos. Os botecos nitidamente se esmeram para fazer pratos surpreendentes, saborosos e originais. Um belo tira-gosto, aliado a um atendimento diferenciado, num ambiente agradável e com cerveja gelada na mesa é forte candidato a levar o caneco.

O tema deste ano para os tira-gostos foi o torresmo. Todos os pratos tinham que conter a iguaria em suas receitas, ou o bar tinha que servir o torresmo à parte para o cliente. Achei a idéia muito feliz, pois o torresmo é um dos tira-gostos mais típicos e emblemáticos da cozinha botequeira e também adoro um bom torresminho.

Haja fôlego para visitar 41 botecos em 31 dias. O que costumo fazer é eleger os tira-gostos que mais me interessaram, os bares que tenho mais vontade de conhecer e separar os que estão sendo mais bem comentados. E tentar conciliar tanta “visita” com a minha agenda…

Abaixo, alguns dos bares que fui esse ano. Resta dizer que o evento é sempre encerrado com uma grande festa, a Saideira, que este ano conta com shows do Monobloco, Velha Guarda da Portela, Trio Mocotó e muitos outros bambas…

O primeiro é o Família Paulista. Como o próprio nome diz, é administrado por uma família oriunda de São Paulo que instalou um bar simpático e pequeno numa espécie de calçada interna entre duas ruas do bairro Cidade Nova, um dos mais tradicionais da cidade. O lugar é agradável, o boteco tem mais cara de bar, e participa do concurso há vários anos. Esse ano, ao homenagear os 100 anos da imigração japonesa, eles atacaram de “sushis mineiros”: makis de canjiquinha com couve, tropeiro e “sashimis” de lombo. Extremamente criativo e saboroso, está sendo considerado um dos favoritos esse ano.

O Köbes é um bar em Santa Tereza, de origem germânica, que conta com carnes exóticas em seu cardápio. É outro bar agradabilíssimo, de atendimento ótimo, bela carta de cachaças e antigo participante também. Este ano ele atacou de “Mineirice com Sotaque”, um prato que leva “torresmo estalinho” (pururuca em espiral) que estala ao ser molhado no molho “negrito” (de feijão preto), bolinhos de carne com recheio de cebolinha em conserva (e tempero lembrando kafta) e um divino croquete de cenoura com recheio de mussarela e azeitona verde recheada. Uma delícia.

O Bar do Antônio, também conhecido como Pé-de-Cana (alusão aos pés-de-cana que foram plantados nos canteiros, mas que bem pode ser utilizado para algum cliente mais estusiasmado…), é um bar no coração da zona sul, que atacou esse ano de enroladinho de lagarto com presunto parma (hmmmm…) ao molho de vinagre balsâmico. Chique pradaná…

O Bar do Doca é um dos principais bares de BH, um dos mais populares e concorridos. O bar original foi aberto na Av. Silva Lobo, onde continua enfileirando mesas e mesas de clientes. Com o sucesso, um segundo bar foi aberto no bairro Gutierrez e um terceiro no coração boêmio de BH, o quarteirão que abriga ícones como a choperia Albano’s e o Bar da Neca. Famoso por sua carne de sol assada no espeto com mandioca na manteiga de garrafa, o Doca conta com um dos cardápios mais completos e qualitativos da cidade. Este ano eles criaram a moqueca de carne de sol, com medalhões de carne de sol com queijo coalho e banana, no palito, com palmito pupunha, pimenta biquinho, farofa de torresmo, torresmo pururuca e pãezinhos com gergelim. E tinha gosto de moqueca mesmo, apesar de não ter nada de peixe!

A Cantina do Paco é um bar cujo proprietário, um espanhol extremamente simpático, coloca música flamenca ambiente e que criou um frango a passarinho defumado simples e divino. O grande lance foi o fato do frango ser defumado, o que adicionou um sabor incrível ao prato. Ele ainda é envenenado com queijo minas ralado grosso, queijo parmesão ralado, alho fritinho, orégano e pimenta biquinho, escoltado pelo torresmo carnudo. Esse tira-gosto pede litros de pilsen pra acompanhar. Estava babando por uma alemã ou até mesmo tcheca ali…

E tem muito mais… recomendo a todos conhecer os bares e o concurso, é uma experiência sem dúvida muito rica. O site oficial do concurso é o http://www.comidadibuteco.com.br . “Vamo simbora, bebê, caí, levantá!”

Ouvindo: Whitesnake – Fool For Your Loving

Anúncios

5 Respostas para “COMIDA DI BUTECO

  1. Aqui em SP também tivemos um concurso desse tipo, o Boteco Bohemia.
    Não foi nada triste ter que experimentar os petiscos, tinha até pastel de feijoada !!!!
    Ainda finalizar com show do Monobloco… muuuito bom !!!
    Abraço.

  2. O primeiro concurso foi realizado em 2000 e reuniu apenas 10 bares. A saideira resumiu-se no fechamento da Rua Rio de Janeiro entre Bias Fortes e Gonçalves Dias, se não estou enganado em um dia só. O evento cresceu e hoje é difícil, mesmo nas 2as feiras conseguir um lugar nos botecos participantes após às 19 hs. Ótima a idéia do Eduarado Maya e da Eulália que depois disso espalharam o evento (que é a cara de BH) por Minas Gerais e pelo Brasil. O Boteco Bohemia de São Paulo, p. ex., é realizado pela empresa dos dois. Aliás, o festival neste ano também foi para Curitiba. Como sugestão, além das ótimas que o Rodrigo enfocou, tiradas dos 15 bares que fui, acrescentaria o tira gosto do Chamego´s e do Local. Forte abraço a todos e rumo a saideira no sábado.

  3. Tânia, o que eu ia falar era exatamente o que o Prazeres falou. O sucesso do concurso por aqui é tão grande que se tornou o principal evento cultural de BH, reafirmando a vocação butequeira que nós belorizontinos temos. E a idéia é tão boa e atraente que foi “exportada” para Sampa e Curitiba e, a meu ver, também deveria ser trabalhada no Rio, outra cidade de enorme vocação butequeira, com seus tradicionalíssimos e sensacionais botequins cariocas. Sugiro uma visita a BH no ano que vem, quando o Comida estará comemorando e bebemorando seus 10 anos… um abraço e um brinde!

  4. Obrigada pela explicação, muito legal conhecer um pouco mais sobre o concurso. Ele realmente deve ser muito bem bebemorado por aí, pelo menos os carnavais que eu passei em MG não faltou cerveja e cachaça. Rs.
    Quem sabe ano que vem eu consiga dar uma passada por aí e experimentar esses petiscos que têm uma cara ótima.
    Grande Abraço.

  5. Oi! Sou promotora de eventos, moro em Rio das Ostras, gostaria muito de realiar um evento Comida di Buteco aqui, peço a fineza de encaminhar este e-mail para o Eduardo Maya. Grata.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s